Gringo Futebol Clube: jogadores estrangeiros que jogam no Brasileirão

Confira a lista de todos - e dos melhores - estrangeiros do Campeonato Brasileiro 2019



Em tempos modernos, é bem difícil que um time não possua jogadores estrangeiros em seu elenco. E no Brasil não seria diferente. Das equipes que disputam a Série A do Brasileirão, apenas Ceará e Bahia não contam com atletas gringos no plantel. A curiosidade é que todos eles são oriundos de países latino-americanos, o que reforça a boa relação do nosso país com seus vizinhos.

Por isso, listamos 11 jogadores gringos que jogam no Campeonato Brasileiro e formamos um time com os melhores de cada posição. Apesar de estarem longe do país de origem, esses são os atletas que mais se sentem em casa aqui no Brasil; confira!

Gringo Futebol Clube – os melhores estrangeiros do Brasileirão 2019

Goleiro: Gatito Fernández (Paraguai) – Botafogo

O arqueiro do Botafogo não tem muita competição pelo posto de melhor goleiro estrangeiro no Brasil. Porém, ainda que tivesse, seria difícil vencer Gatito. O jogador de 31 anos é, atualmente, um dos melhores na posição aqui no país. Por chegar no auge de forma tardia, vive um grande momento em sua carreira. Antes de defender o Glorioso, atuou por Vitória e Figueirense no Brasil. Foi revelado pelo Cerro Porteño (PAR).

Gatito Fernández é filho de Gato Fernández, goleiro paraguaio de passagens por Internacional e Palmeiras na década de 90. O filho, ídolo no Botafogo, é conhecido por fazer defesas milagrosas e ser um exímio pegador de pênaltis.

Lateral-Direito: Orejuela (Colômbia) – Cruzeiro

O único lateral-direito gringo no Brasil nos principais clubes do país, Orejuela está no Cruzeiro desde o início de 2019. Na Raposa, disputa posição com o experiente Edilson. O atleta pertence ao Ajax, da Holanda, semifinalista na Liga dos Campeões. Luis Orejuela permanece em Belo Horizonte até o fim deste ano, quando se encerra o período de empréstimo.

O colombiano está com 23 anos e foi revelado pelo Deportivo Cali, time de seu país. Estava na pré-lista de convocação da Colômbia para a Copa América, mas o defensor fará uma cirurgia após lesão no menisco do joelho. Com isso, Orejuela é desfalque dos colombianos na competição continental.

Zagueiro: Victor Cuesta (Argentina) – Internacional

Fora da Argentina, o xerifão jogou apenas no Internacional. Cuesta está no Colorado desde 2017, quando se transferiu do Independiente. Nos Hermanos passou também por Arsenal de Sarandí, clube que o revelou, além de Defensa y Justicia e Huracán.

O argentino chegou ao Brasil no momento mais difícil da história do Inter. Os gaúchos disputavam em 2017 a Série B do Campeonato Brasileiro pela primeira vez. Victor Cuesta participou da campanha do acesso e não saiu mais do time titular. Já completou mais de 100 jogos com a camisa colorada e tem seis gols marcados.

Zagueiro: Walter Kannemann (Argentina) – Grêmio

A dupla de zaga é Grenal! Walter Kannemann completa o miolo da defesa ao lado de Victor Cuesta no Gringo Futebol Clube do Brasileirão. Kannemito, como é chamado pela torcida gremista, está em sua quarta temporada em Porto Alegre. Antes, passou por San Lorenzo, onde ganhou uma Libertadores, além do Atlas, do México. Ao todo, são quase 150 jogos pelo Grêmio e quatro gols anotados.

No tricolor gaúcho, Kannemann foi protagonista no título da Libertadores em 2016, ao formar dupla consistente com Pedro Geromel.

Lateral-Esquerdo: Trauco (Peru) – Flamengo

Miguel Trauco é lateral-esquerdo do Flamengo desde 2017. No ano anterior, jogando pelo Universitário, foi eleito o melhor jogador do Campeonato Peruano. Ainda no Peru, também passou por Unión Tarapoto e Unión Comercio. Em 2017, foi titular grande parte da temporada pelo rubro-negro carioca, mas a partir do ano seguinte perdeu espaço para Renê.

Na Copa do Mundo na Rússia, em 2018, Trauco foi titular da Seleção Peruana. O seu reserva era Nilson Loyola, lateral que hoje atua no Brasil também – no Goiás.

Volante: Cuellar (Colômbia) – Flamengo

O cão de guarda do Mengo é um dos principais gringos no Brasil. Dono da retaguarda flamenguista no meio-campo, Gustavo Cuellar atua no rubro-negro desde 2016. São só dois gols marcados desde que desembarcou no Rio, mas o seu futebol vai bem além de bola na rede. Cuellar tem sido um dos melhores roubadores de bola do continente. A sua multa rescisória está na casa dos R$ 300 milhões.

Em seu país, a Colômbia, o volante de 26 anos teve passagens por Deportivo Cali e Junior Barranquilla. O Flamengo é o seu primeiro time na carreira fora do país de origem. A diretoria do Urubu trabalha para impedir a venda do jogador na próxima janela europeia de transferências.

Volante: Carlos Sánchez (Uruguai) – Santos

O meio campista do Santos começou a carreira no Liverpool, mas o do Uruguai. Desde então, passou por Godoy Cruz e River Plate, da Argentina, além de Puebla e Monterrey, do México. Sánchez defende o alvinegro praiano desde a última temporada e em 2019 tem sido um pilar no time de Jorge Sampaoli.

Experiente, aos 34 anos, El Pato é ídolo no River Plate, da Argentina, onde conquistou a Libertadores de 2015. Pela Seleção Uruguaia, disputou a Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

Meia: Arrascaeta (Uruguai) – Flamengo

O jogador mais caro da história do futebol brasileiro é gringo. De Arrascaeta foi vendido do Cruzeiro ao time carioca no início de 2019 por 15 milhões de euros (R$ 63,7 milhões). O meia uruguaio foi protagonista nos títulos do Cruzeiro na Copa do Brasil de 2017 e 2018 – sendo a primeira em final contra o seu time atual.

Leia Também - Flamengo e Palmeiras estão na lista de times que mais investiram no mundo

Em 2012, Arrascaeta iniciou a carreira profissional no Defensor, do Uruguai. Atuou pelo Cruzeiro entre 2015 e 2018, tendo disputado quase 200 jogos com a camisa cruzeirense. Na Seleção Celeste, disputou Mundial e Sul-Americano Sub-20, e chegou ao auge quando participou da Copa do Mundo 2018, tendo disputado dois jogos como titular.

Meia: D’Alessandro (Argentina) – Internacional

Um dos maiores jogadores da história do Inter é argentino. Andres D’Alessandro está com 38 anos e ainda é tratado como um Deus pelos lados do Rio Guaíba. No colorado, foi campeão da Libertadores de 2010 como protagonista. Para se ter uma ideia da grandeza do gringo no alvirrubro, D’Alessandro já marcou 91 gols com a camisa colorada em aproximadamente 450 jogos.

Um caso a parte na história do Inter, o camisa 10 também já passou por River Plate, onde é ídolo. Lá que começou a carreira. Na Europa, passou por clubes da Espanha, Inglaterra e Alemanha.

Atacante: Paolo Guerrero (Peru) – Internacional

“Acabou o caô, o Guerrero chegou!”. Esse cântico foi ecoado por torcidas de Corinthians, Flamengo e agora no Internacional aqui pelo Brasil. Fez sucesso especialmente no clube paulista, onde venceu a Libertadores e foi o autor do título mundial em 2012, contra o Chelsea, da Inglaterra. No Flamengo, jogou por três temporadas e ficou fora dos gramados por um bom tempo devido ao doping.

Leia Também - Paolo Guerrero chega a marca de 100 gols vestindo a camisa de um time brasileiro

Depois de cumprir suspensão, o peruano voltou a jogar pelo Internacional. Aos 35 anos, Paolo ainda está no auge de sua pontaria. São cinco gols em nove jogos pelo colorado. No Peru, o centroavante já disputou quatro edições da Copa América. Foi o responsável por fazer o gol que deu a classificação para o seu país disputar a Copa do Mundo de 2018. Fora do Brasil, Guerrero passou por Alianza Lima, do Peru, e por dois clubes alemães: Bayern de Munique e Hamburgo.

Atacante: Nico López (Uruguai) – Internacional

A dupla de ataque é colorada. Nico López tem sido destaque no Internacional nas últimas três temporadas. No Inter, o uruguaio vem sendo a válvula de escape e um grande finalizador no time comandado por Odair Helmann. Além do colorado gaúcho, Nico passou por Nacional do Uruguai, Roma, Udinese e Verona da Itália, além de Granada, da Espanha.

Ao todo, o atacante uruguaio possui quase 40 gols marcados pelo time brasileiro, tudo isso em 140 partidas.

via GIPHY

via GIPHY

Técnico: Jorge Sampaoli (Argentina) – Santos

Jorge Luis Sampaoli Moya é o nome do momento no Brasil. O treinador argentino caiu nas graças do torcedor santista e da imprensa brasileira. Ao impor um estilo de posse de bola e ofensivo no Santos, Sampaoli propõe um padrão de jogo pouco visto no nosso país. Antes de suas aparições nas praias santistas, o profe teve passagens importantes pela Seleção Chilena e pelo Sevilla, da Espanha. No Chile, foi o comandante da equipe que venceu pela primeira vez a Copa América, em 2015.

Leia Também - Maiores salários dos técnicos no futebol brasileiro em 2019

Na última temporada, treinou a Seleção Argentina na Copa do Mundo da Rússia. Foi eliminado nas oitavas de final pela futura campeã França. A campanha sem brilho culminou em sua demissão logo após o torneio. Jorge Sampaoli é o treinador do Santos desde o início de 2019 e não sairá tão cedo por ter encantado com o seu carisma e o estilo de jogo.


Outros estrangeiros que jogam o Brasileirão 2019!

Athletico-PR - Lucho González (Argentina) e Marco Rubén (Argentina).

Atlético-MG - Yimmy Chará (Colômbia), Cazares (Equador), David Terans (Uruguai) e Martín Rea (Uruguai).

Avaí - Jonny Mosquera (Colômbia) e Brizuela (Paraguai).

Botafogo - Joel Carli (Argentina).

Chapecoense - Diego Torres (Argentina) e Orzusa (Paraguai).

Corinthians - Ángel Romero (Paraguai) e Bruno Méndez (Uruguai).

Cruzeiro - Ariel Cabral (Argentina) e Lucas Romero (Argentina).

CSA - Cristian Maidana (Argentina), Manga Escobar (Colômbia) e Jonatan Gómez (Argentina).

Flamengo - Orlando Berrío (Colômbia), Fernando Uribe (Colômbia) e Piris da Motta (Paraguai).

Fluminense - Yony González (Colômbia).

Fortaleza - Juan Quintero (Colômbia).

Goiás - Leandro Barcia (Uruguai) e Nilson Loyola (Peru).

Grêmio - Walter Montoya (Argentina).

Internacional - Jonatan Álvez (Uruguai), Santiago Tréllez (Colômbia) e Martín Sarrafiore (Argentina).

Palmeiras - Gustavo Gómez (Paraguai), Alejandro Guerra (Venezuela) e Miguel Borja (Colômbia).

Santos - Dérlis González (Paraguai), Felipe Aguilar (Colômbia), Copete (Colômbia), Soteldo (Venezuela), Cueva (Peru), Bryan Ruíz (Costa Rica) e Jackson Porozo (Equador).

São Paulo - Arboleda (Equador) e Gonzalo Carneiro (Uruguai).

Vasco - Raúl Cáceres (Paraguai) e Oswaldo Henríquez (Colômbia).


Gostou da escalação do Gringo Futebol Clube? No time titular há 3 argentinos, 3 uruguaios, 2 peruanos, 2 colombianos e 1 paraguaio, todos sob o comando do técnico hermano Sampaoli.

Qual outro estrangeiro você escalaria no time titular? Comenta aí!

Por Matheus Alves

jogadores estrangeiros brasileirão 2019 gringo futebol clube
Voltar