Técnicos estrangeiros que já treinaram times brasileiros

Confira a lista de treinadores gringos com passagens recentes no Campeonato Brasileiro



É de conhecimento geral que ser técnico de futebol no Brasil não é uma tarefa das mais simples. Agora imagina ser um estrangeiro, sem conhecimento do esporte no nosso país, e assumir um cargo de treinador por aqui. Com a globalização, são vários exemplos desses desafios nos últimos anos. Atualmente, os exemplos são: o argentino Jorge Sampaoli, no comando do Santos, e o português Jorge Jesus, atual comandante do Flamengo.

Por isso, resolvemos fazer uma lista com todos os técnicos gringos com passagens recentes no Campeonato Brasileiro, desde que foi implementado o sistema de pontos corridos, em 2003. Quer relembrar ou conhecer alguém? Confira a lista a seguir:

Técnicos estrangeiros que já treinaram times do Brasileirão

Reinaldo Rueda (Colômbia) - Flamengo

Em 2017, o Flamengo apostou no colombiano Reinaldo Rueda para comandar o time. O treinador havia se destacado com o título da Libertadores do ano anterior no Atlético Nacional, da Colômbia. Rueda sairia do rubro-negro com apenas 31 partidas no currículo pelo Brasil, ao aceitar uma proposta da Seleção Chilena. No período em que esteve à frente do Fla, o colombiano venceu 13 partidas, além de ter empatado 10 e perdeu 8. Isso dá um aproveitamento de 52,3%. No Urubu, Rueda foi vice-campeão da Copa do Brasil e da Sul-Americana de 2017.

Atualmente, o comandante é conhecido por ter feito decisões importantes quando treinava o plantel flamenguista. No Flamengo de Rueda, os jovens Vinicius Júnior e Lucas Paquetá ganharam sequência como titulares, bem como o volante Gustavo Cuellar, antes reserva de Márcio Araújo. Nos dias atuais, Vinicius Júnior está no Real Madrid e Paquetá no Milan, grandes clubes europeus. O compatriota de Rueda, Cuellar é um dos principais nomes do elenco do Flamengo.

Diego Aguirre (Uruguai) - Internacional, Atlético Mineiro e São Paulo

Aguirre tem três passagens no futebol brasileiro como técnico. Treinou o Internacional (2015), além de Atlético Mineiro (2016) e São Paulo (2018). O uruguaio conseguiu aproveitamento perto de 60% no colorado gaúcho e no galo mineiro, e um pouco a menos no tricolor paulista. Nos três times não conseguiu ter uma sequência de trabalho e Aguirre não chegou a 50 jogos em nenhuma das equipes brasileiras que comandou. Em 2011, foi vice-campeão da Libertadores com o Peñarol/URU, perdendo a final para o Santos de Neymar e Ganso.

Edgardo Bauza (Argentina) - São Paulo

El Patón, como é conhecido, chegou ao São Paulo em 2016. O seu nome gerou grandes expectativas no torcedor são-paulino, mas o sonho não se tornou realidade. Bauza comandou o tricolor em apenas 48 partidas, de forma bem oscilante, como mostram os números. Foram 17 vitórias, 18 derrotas e 13 empates. Saiu do São Paulo para comandar a Seleção da Argentina. É conhecido por ter levado a LDU, de Quito/EQU, ao título da Libertadores de 2008.

Paulo Bento (Portugal) - Cruzeiro

75 dias! Este foi o tempo em que Paulo Bento esteve no cargo de técnico do Cruzeiro, em 2016. Saiu pois deixou o clube celeste na vice-lanterna do Brasileirão daquele ano. O português conseguiu, em 17 jogos na Raposa, apenas seis vitórias, oito derrotas e três empates. É uma das piores experiências de técnicos estrangeiros no Brasil. Depois da saída de Bento, Mano Menezes assumiu o Cruzeiro e está até os dias atuais no cargo.

Ricardo Gareca (Argentina) - Palmeiras

O atual vice-campeão da Copa América com o Peru não se deu bem no Palmeiras, em 2014. Treinando um time mal estruturado e com deficiência técnicas, o argentino Gareca deixou o alviverde com 33% de aproveitamento - ficou entre junho e setembro daquele ano. Gareca treinou o Palmeiras em 13 jogos.

Juan Carlos Osório (Colômbia) - São Paulo

O colombiano Juan Carlos Osório chegou ao São Paulo para causar um terremoto, estremecer as bases. Conhecido por um estilo diferente de trabalhar, com muitas anotações durante os jogos e intensa aplicação tática de seus times, Osório não conseguiu engrenar no Brasil. Deixou o clube para assumir a Seleção do México e largar o trabalho no meio, em 2015. Osorio fez 28 partidas no tricolor, com 12 vitórias, 7 empates e 9 derrotas.

Outros técnicos estrangeiros no Brasil desde o início dos pontos corridos:

● Jorge Fossati (Uruguai) - Internacional (2010)

● Dejan Petkovic (Sérvia) - Criciúma (2015), Sampaio Correa (2016) e Vitória (2017)

● Juan Ramón Carrasco (Uruguai) - Athletico/PR (2012)

● Miguel Ángel Portugal (Espanha) - Athletico/PR (2014)

● Lothar Matthäus (Alemanha) - Athletico/PR (2006)

● Daniel Passarela (Argentina) - Corinthians (2005)

● Roberto Rojas (Chile) - São Paulo (2003)

● Darío Pereyra (Uruguai) - Grêmio (2003)*

*O treinador teve várias passagens como treinador por clubes brasileiros, mas nos pontos corridos e no Brasileirão Série A, foi apenas no Grêmio, em 2003.

Por Matheus Alves


Leia Também - Mercado da Bola: quem chegou e quem saiu do seu time

técnicos estrangeiros times brasileiros
Voltar