Retrospecto recente da Seleção Brasileira na Copa América

Não tem sido fácil! Confira a participação do Brasil nas edições anteriores da Copa América



A Copa América 2019 está sendo realizada no Brasil e a nossa seleção se classificou ontem (27/6) a semifinal ao vencer o Paraguai nas quartas. O jogo foi decidido nos pênaltis e vamos lembrar que essa combinação Paraguai-Copa América-Quartas de Final não é muito bem digerida pela Seleção Brasileira nos últimos tempos. Em 2011 e 2015, a Canarinho foi eliminada justamente nesta fase, sempre para os paraguaios.

Por toda essa mobilização e ansiedade para as fases finais da Copa América, trouxemos aqui o retrospecto recente da Seleção Brasileira na Copa América, mais precisamente no século XXI. Neste tempo, seis edições, com dois títulos, três eliminações em quartas de final, e uma queda prematura, ainda na fase de grupos. Ou seja, ultimamente, sempre que nosso país passa pelas quartas (bom sinal!), é campeão no final da disputa.

Para conferir o retrospecto do Brasil nas edições anteriores, leia a seguir! 

Copa América 2001

O torneio foi disputado na Colômbia e os nossos vizinhos cafeteiros não nos trouxeram muita sorte. Naquela edição, o Brasil foi eliminado nas quartas de final para a fraca seleção de Honduras, uma das nações convidadas naquela ocasião. Belletti, contra, e Martinez marcaram os gols hondurenhos e colocam seus nomes em um dos maiores vexames da Canarinho. Um ano depois, o time comandado por Luiz Felipe Scolari, o Felipão, venceria a Copa do Mundo disputada no Japão e na Coreia do Sul. Seria a redenção daquela seleta de craques.

Mas, voltando à competição continental, a Seleção Brasileira até que foi bem na fase de grupos. Finalizou a chave B com 6 pontos, e liderou o seu grupo. Na trajetória, derrota para o México na estreia por 1 a 0, e vitórias sobre o Peru, por 2 a 0, e diante do Paraguai, por 3 a 1.

Denílson, ex-atacante e hoje comentarista da TV Bandeirantes, foi o artilheiro do Brasil naquela Copa, com dois gols. A Colômbia foi a campeã da Copa América de 2001 e fez um bom papel ao confirmar o favoritismo, já que atuava em casa. O colombiano Víctor Aristizábal, ex-atacante do Cruzeiro, foi o goleador daquele torneio, com seis tentos marcados.

Copa América 2004

A edição de 2004 foi sediada pelo Peru e foi marcada pela volta por cima do Brasil após o vexame em 2001, especialmente da forma em que conquistou o título sobre a Argentina, nossa eterna rival, na decisão. Na final, a Seleção Brasileira perdia por 2 a 1 para los hermanos até os 48 do segundo tempo quando Adriano, o Imperador, fez um lindo gol para levar a disputa para a prorrogação e posteriormente às penalidades máximas. No fim, vitória brasileira por 4 a 2 nos pênaltis, com direito a gols perdidos por Heinze e D’Alessandro pelo lado argentino.

Antes disso, o Brasil passou pelo Grupo C apenas na segunda posição, pois perdeu uma partida para o Paraguai, por 2 a 1. Apesar disso, conseguiu a classificação devido a vitórias diante de Costa Rica e Chile. Nas quartas, vitória sobre o México por 4 a 0 e passou para a decisão de forma dramática pelos uruguaios - 5 a 3 nos pênaltis depois de 1 a 1 no tempo normal.

Em grande fase na carreira naquela época, o atacante Adriano Imperador foi o principal jogador e artilheiro daquele torneio. O tal de Didico deixou sete gols, sendo que os segundo colocados marcaram apenas três, cada um - González e Saviola (Argentina) e Bueno (Uruguai).

Copa América 2007

No ano de 2007, a Venezuela não vivia os problemas políticos e econômicos pelos quais passa hoje e recebeu aquela edição da Copa América. E o país rico em petróleo deu sorte ao Brasil. Novamente a Seleção Canarinho teve dificuldades para avançar na fase de grupos, mas foi levando do jeito que deu até levar o caneco na decisão, novamente diante da Argentina, com direito a atropelo por 3 a 0. Júlio Baptista, Ayala (contra) e Daniel Alves confirmaram o oitavo título de Copa América para nossa nação. E até hoje paramos nesse número de conquistas. Já são 12 anos de jejum!

Como já citamos, o Brasil passou perrengue nas chaves. Perdeu novamente para o México na estreia, por 2 a 0, mas se recuperou posteriormente por conta de vitórias contra Chile e Equador. Tá em crise? Chama o Chile!, já diria Galvão Bueno. Depois do aperto, só festa. Triunfo fenomenal sobre os chilenos nas quartas por 6 a 1, classificação para a final nos pênaltis, de novo, contra o Uruguai. E, claro, mais uma goleada nos hermanos. 

Robinho, que nunca foi de fazer muitos gols, foi decisivo para o Brasil na disputa continental e se sagrou artilheiro, com seis gols. Ficou à frente do ídolo argentino Juan Román Riquelme, que deixou sua marca em cinco oportunidades. O título deu o direito à Seleção Brasileira disputar a Copa das Confederações de 2009, vencida pelo Brasil de Dunga, na África do Sul.

Copa América 2011

É, se a sua memória for boa, vai se lembrar das quartas de final da Copa América de 2011, na Argentina. O Brasil foi eliminado nas quartas de final, nos pênaltis, pela Seleção do Paraguai. A pior parte? A Seleção Brasileiro errou TODOS os quatro pênaltis que cobrou. Elano, Thiago Silva, André Santos e Fred foram os donos dessa façanha. Após a partida, a comissão técnica brasileira reclamou muito das condições do gramado em La Plata. 

Mas antes do 0 a 0 no tempo normal e a perda nos pênaltis para os paraguaios, o Brasil não empolgou durante a disputa no Grupo B. Naquela Copa, apenas cinco pontos somados pelo time de Mano Menezes. Empate por 0 a 0 com a Venezuela, empate por 2 a 2 com o Paraguai e vitória sobre o Equador por 4 a 2. Esta última partida foi a principal do nosso país naquela competição. Neymar e Alexandre Pato fizeram dois gols cada. Até por isso, terminaram o campeonato como artilheiros brasileiros. 

O goleador máximo da Copa América de 2011 foi o centroavante Paolo Guerrero, atacante atualmente no Internacional, que disputa a edição de 2019 pelo Peru. Guerrero acabou com o caô e fez cinco gols ao longo do torneio. O Uruguai do técnico Óscar Tabarez venceu a final por 3 a 0 sobre o Paraguai e foi campeão. Luisito Suárez e Diego Forlán, duas vezes, fizeram os gols do título.

Copa América 2015

Um ano depois do 7 a 1, o Brasil parece que ainda andava de ressaca e foi novamente eliminado pelos paraguaios, na fase quartas de final. Desta vez, após jogo em 1 a 1 no tempo regulamentar e derrota por 4 a 3 nas penalidades. No Grupo C, a Canarinho terminou na primeira colocação, com seis pontos. Isso porque venceu o Peru por 2 a 1, perdeu para a Colômbia por 1 a 0 e venceu os venezuelanos por 2 a 1.

No jogo da eliminação para o Paraguai, a Seleção Brasileira conseguiu um gol com Robinho, mas os adversários deixaram tudo igual com González. Nos pênaltis, Éverton Ribeiro e Douglas Costa não converteram para o Brasil e fomos mais uma vez eliminados pelos paraguaios, na segunda vez consecutiva, nas quartas de final.

Esta Copa América de 2015 foi disputada no Chile e os donos da casa conquistaram o seu primeiro caneco na competição. Chi-chi-chi Le-le-le! Os chilenos venceram a Argentina na decisão por 4 a 1 nos pênaltis após um empate sem gols no tempo normal. Eduardo Vargas, do Chile, e Paolo Guerrero, do Peru, foram os artilheiros daquela edição com quatro tentos.

Copa América 2016

2016, na Copa América Centenária, disputada nos Estados Unidos, definitivamente foi o pior ano da Seleção Brasileira no torneio continental neste século. O Brasil sequer passou da fase de grupos. Nosso país caiu em um grupo considerado fácil, mas mesmo assim sucumbiu aos adversários. Nem mesmo a vitória por 7 a 1 (que ironia do destino) no Haiti foi capaz de salvar Dunga, que saiu do comando da Seleção após a eliminação precoce. Tite assumiu para comandar a reformulação até a Copa do Mundo, na Rússia, em 2018. 

Enfim, voltando à Copa América, o Brasil somente empatou com o Equador, na estreia, por 0 a 0 e para terminar foi derrotado por 1 a 0 pelo Peru, com gol de Ruidíaz. Desta forma, terminou a fase classificatória com 4 pontos, na 3ª colocação da chave.

E adivinha só quem ganhou aquela competição. Só podia ser o Chile, que parece ter pego gosto pela disputa. Venceu mais uma vez a Argentina na final (tá difícil hein, Messi?!) e novamente nos pênaltis - 4 a 2. Lionel Messi, astro argentino, até chegou a anunciar aposentadoria da Seleção Argentina, mas depois voltou atrás. Leo jamais venceu um título no profissional com seu país. Eduardo Vargas, do Chile, foi o goleador máximo da Copa Centenário, com seis gols. Coutinho, com três gols, foi quem mais marcou pelo Brasil.


Leia Também - Maiores artilheiros da história da Copa América

Curiosidade: A Copa América vai ser novamente disputada em 2020, ano que vem, e o torneio seguirá o calendário europeu, e vai passar a ocorrer ao mesmo tempo em que as edições da Eurocopa, de 4 em 4 anos.

E aí, torcedor! Como você viu, a vida da seleção não foi fácil nas últimas edições do torneio, porém vencemos todas as edições de Copa América disputadas no Brasil.

Em 2019, será se a Canarinho conquista o caneco mais uma vez? Há a possibilidade do confronto com os hermanos (Argentina) já na semifinal. Deixe sua opinião e participe da nossa enquete!

Por Matheus Alves

retrospecto seleção brasileira copa américa edições anteriores
Voltar