Balanço financeiro do Corinthians em 2018 está negativo

O balanço financeiro e o futebol de 2018 não estão agradando os torcedores do Timão.



Com desmanches seguidos, duas trocas de técnicos e um elenco com claras deficiências na defesa, meio campo e ataque, o Corinthians caiu do patamar de campeão brasileiro em 2018 para equipe ameaçada de rebaixamento em 2019.

O Corinthians terá de viabilizar receitas para pagar sua arena e qualificar melhor seu elenco para a próxima temporada.

Premiação da Copa do Brasil

Conforme seu último balanço financeiro, o Corinthians tem um déficit de cerca de R$ 17,3 milhões na temporada de 2018, mas este saldo negativo no ano pode ser sanado com a premiação da Copa do Brasil.

O vice-campeonato na Copa do Brasil rendeu ao Timão R$ 31,9 milhões: R$ 20 milhões pelo vice, R$ 6,5 milhões pelas semifinais vencidas, R$ 3 milhões pelas quartas e R$ 2,4 milhões pelas oitavas.

Ao perder o título para o Cruzeiro, o Corinthians deixou de receber R$ 30 milhões – o campeão foi premiado em R$ 50 milhões – e perdeu a chance de ficar com a maior premiação paga na história do torneio. Este prêmio é quase três vezes maior do que a receberá o campeão brasileiro nesta temporada (R$ 18 milhões - leia nossa reportagem).

Venda de jogadores

O déficit financeiro do Corinthians não é maior devido à arrecadação de cerca de R$ 95 milhões com a negociação de jogadores após conquista do Campeonato Brasileiro em 2017.

[?] Quiz sobre o Corinthians

A venda de Rodriguinho ao Pyramids, do Egito, rendeu ao Corinthians R$ 15 milhões, mais R$ 2,2 milhões vieram da venda de Sidcley para o Dínamo de Kiev, da Ucrânia, e do futebol ucraniano também vieram os R$ 6,6 milhões da venda de Maycon para o Shakhtar Donetsk.

Outros três jogadores foram negociados, e as ausências destes atletas são as mais sentidas pelos corintianos na temporada atual. Por R$ 18 milhões, Balbuena foi disputar a Premiere League pelo West Ham, o atacante Jô foi jogar no Japão, pelo Nagoya Grampus, negociado por R$ 10 milhões e Guilherme Arana seguiu para o Sevilla, na Espanha, por R$ 20 milhões.

Menor arrecadação em 2019

Dificilmente o Corinthians brigará por uma vaga na Libertadores de 2019. A equipe comandada por Jair Ventura está 10 pontos da zona de classificação para a Pré Libertadores, e com a pontuação atual é a última entre os classificados para a Copa Sulamericana.

[Leia] Corinthians faz em 2018 a pior temporada desde o rebaixamento em 2007

Jogando a Libertadores o Timão teve seu maior público médio em 2018, 33.565 pagantes por partida, alcançando a renda média de R$ 2.322.843 por jogo. Esta receita foi essencial para o pagamento de uma das folhas salariais mais caras do Brasil, de aproximadamente de R$ 12 milhões por mês.

A ausência na Libertadores também terá impacto sobre o pagamento do financiamento da Arena Corinthians. A dívida do clube por sua arena é de R$ 1,17 bilhão, e a despesa mensal atual oriundas dos empréstimos do BNDES e da Caixa é de R$ 5,9 milhões.

Corinthians finanças Arena Corinthians dívida Campeonato Brasileiro receita
Voltar